Vidroplano
Vidroplano


Conheça as principais causas do surgimento de manchas no vidro

28/11/2019 - 11h23

Quem trabalha em qualquer elo da cadeia vidreira sabe que é fundamental o vidro chegar ao usuário livre de qualquer imperfeição. Um desafio que algumas vezes compromete essa meta é o surgimento de manchas no material, algo que pode ser percebido pelo cliente. Mas, como evitar o problema? Reunimos informações técnicas sobre o assunto para lhe ajudar. Acompanhe!

Um nome, vários tipos

O termo “mancha” é usado de forma genérica para identificar vários defeitos visuais que podem surgir no vidro. Alguns deles são:

  • Ataque na superfície;
  • Deposição de material estranho na superfície;
  • Descontinuidade ou variação da camada superficial;
  • Variação da rugosidade da superfície do vidro.

 

Além da aparência

A estética não é o único aspecto do vidro afetado pelo surgimento de manchas. Outros problemas que elas podem trazer incluem:

  • Em vidros float:chapas com esse defeito são substituídas, levando não só à perda do vidro defeituoso, mas também ao atraso causado por sua reposição;
  • Em espelhos: a capacidade de reflexão da peça pode ficar comprometida;
  • Em laminados: se a mancha for interna, na face do vidro em contato com a camada intermediária, pode provocar sua delaminação parcial e comprometer a segurança da peça;
  • Em temperados: no caso de manchas causadas por ataque químico, elas podem provocar a erosão superficial do vidro, reduzindo sua resistência.

Vale observar que esses efeitos são diretamente proporcionais à intensidade e à extensão das manchas.

 

Como ocorrem e como evitá-las?

Na fabricação

Manchas não aparecem durante a fabricação do vidro em si. Contudo, o material ainda pode adquirir imperfeições em sua superfície antes de sair da fábrica ou da distribuidora. As causas podem estar na:

  • Estocagem das chapas em espaços úmidos;
  • Ausência de materiais separadores entre as lâminas de vidro (quando uma chapa entra em contato com os elementos químicos presentes na superfície da outra).

Por isso, o vidro precisa ser armazenado em local seco, bem ventilado e protegido de umidade e poeira, com intercalários colocados entre uma chapa e outra. Também recomenda-se o transporte das peças verticalmente e sem impactos violentos ou repetitivos, de modo a também evitar riscos, como já mencionado em: “8 dicas para manusear, carregar e descarregar o vidro com segurança”

 

Pré-processamento

Cada etapa do beneficiamento do vidro pode levar ao surgimento de manchas. Estas podem ser causadas por erros nos maquinários e produtos utilizados ou devido a manuseios incorretos.

No corte, o vidro pode ganhar uma série de marcas em sua superfície, cujas causas incluem:

corte

  • Ventosas contaminadas por produtos químicos e umidade ou ventosas não originais (improvisadas);
  • Umidade do ambiente;
  • Óleo de corte com composição inadequada, seja por erro do fabricante ou decisão do processador em criar sua própria fórmula caseira em vez de comprar o produto adequado;
  • Luvas usadas no manuseio do vidro que estejam contaminadas por produtos químicos, óleo de corte inadequado ou sujeira;
  • Ausência de intercalário entre as chapas, ou uso de intercalário com cola.

 

Na lapidação, a atenção deve ser constante, pois as manchas podem surgir também nessa atividade. Exemplos:

lapidacao

  • Marcas de correia;
  • Manchas de pinças;
  • Manchas causadas pela água usada na lapidação, quando seu pH não é neutro ou apresenta alta concentração de cálcio e magnésio;
  • Ataques superficiais causados pelo uso de produtos químicos inadequados para a limpeza do vidro.

 

serigrafia, de igual modo, pode levar ao surgimento de manchas. Algumas de suas causas são:

serigrafia

  • Densidade ou viscosidade inadequadas do esmalte a ser aplicado;
  • Falta de homogeneidade do esmalte;
  • Pressão e velocidade de impressão inadequadas;
  • Desnivelamento da máquina de impressão;
  • Falhas no contato ou descolamento da serigrafia no vidro.

 

Na têmpera

Nessa etapa, frequentemente surge um tipo especial de mancha, de aspecto colorido. Trata-se de um efeito inerente ao processo de têmpera, o qual provoca esforços diferentes na secção transversal da peça. A boa notícia é que a atenuação e a homogeneidade desse defeito podem ser controladas com o acompanhamento adequado ao processo.

A intensidade desse tipo de mancha depende de uma série de fatores, como a adoção de parâmetros de processo inadequados no forno de têmpera.

Outros tipos de mancha também podem surgir devido a diferentes fatores. Entre eles estão:

  • Uso de perfil térmico inadequado;
  • Uso de produtos químicos inadequados no aquecimento do forno;
  • Envio de vidro serigrafado para a têmpera sem a secagem prévia eficaz do esmalte aplicado sobre a superfície;
  • Uso de produtos ou métodos inadequados para tirar riscos do vidro.

 

Na laminação

haze, tipo de mancha esbranquiçada, pode aparecer em vidros laminados devido a falhas no processo de autoclave. Para evitar esse defeito, os processadores devem seguir rigorosamente as instruções fornecidas pelos fabricantes da camada intermediária utilizada.

No transporte e na instalação

transporte-vidro

Mesmo que o vidro esteja isento de manchas após seu processamento, elas ainda podem surgir — e são causadas por erros:

  • Na aplicação do vidro;
  • No transporte do vidro;
  • No acondicionamento das peças na obra;
  • No uso de produtos inadequados para sua instalação, manutenção e limpeza.


O que é irisação?

Trata-se de um processo que pode surgir em locais em que a estocagem do vidro é feita sem controle da umidade ou sem colocação de intercalários entre as chapas. Nesses casos, pode haver condensação entre as lâminas, o que leva a película de água confinada entre as chapas iniciar uma reação química de corrosão na superfície do vidro.

O resultado é o aparecimento de manchas semelhantes a um arco-íris no revestimento da superfície do vidro. 

 

Curiosidades

vidros

Quais são os tipos de vidro mais propensos ao surgimento de manchas?

Placas especiais, como as baixo-emissivas (low-e), são aquelas que apresentam esse tipo de defeito com mais frequência, devido aos elementos químicos presentes em seus revestimentos. As más condições de armazenagem e manuseio também afetam especialmente os vidros acidados (que sofrem tratamento superficial à base de ácido fluorídrico) e refletivos.

Em seguida, vêm os vidros coloridos, os sodo-cálcicos (mais suscetíveis ao processo de irisação) e, finalmente, os incolores.

Vidros impressos são mais vulneráveis ao aparecimento de manchas?

Não. A propensão dos impressos ao surgimento desse tipo de defeito é igual à de outros tipos de vidro.

É possível remover manchas do vidro?

Em alguns casos, sim. Porém, há um alerta: é necessário primeiro que um especialista identifique o tipo e causa da mancha para então determinar se a remoção é possível e como isso é feito.

 



Newsletter

Cadastre-se aqui para receber nossas newsletters