Vidroplano
Vidroplano

Vidro pode ser aliado contra ruídos externos

21/06/2021 - 10h35

Um dos principais atrativos do vidro insulado, como mostrado na reportagem especial deste mês de O Vidroplano (confira clicando aqui), é o isolamento acústico. Nosso material, quando devidamente especificado e instalado, é um elemento fundamental para bloquear a passagem de ruídos para dentro dos ambientes – algo cada vez mais imprescindível em grandes centros urbanos.

Você sabe a importância do controle da poluição sonora para a saúde humana? E como está a procura por soluções nessa área? As respostas para essas e outras questões são apresentadas a seguir por profissionais diretamente envolvidos na área de acústica.

Por que o isolamento acústico é importante?
“Hoje, a poluição sonora só perde para a poluição do ar e da água. Acredita-se que, no futuro, o silêncio será um dos itens mais desejados”, afirma Edison Claro de Moraes, diretor-proprietário da Atenua Som e vice-presidente de Relações com o Mercado da Associação Brasileira para a Qualidade Acústica (ProAcústica).

Marcos Holtz, sócio-diretor da Harmonia e vice-presidente de Atividades Técnicas da ProAcústica, alerta: “Diversos estudos científicos e da Organização Mundial da Saúde (OMS) já comprovaram a correlação entre a exposição excessiva à poluição sonora e o surgimento de problemas de saúde crônicos, como doenças vasculares e derrames. Por isso, a questão acústica precisa ser encarada com seriedade, como um problema de saúde pública que deve ser contemplado no planejamento urbano das cidades”.

Um artigo publicado no site da Atenua Som apresenta outros efeitos negativos causados pela poluição sonora:

– Perda de boa parte da capacidade de concentração dos funcionários no ambiente de trabalho;

– Aumento de peso, pois quanto mais o corpo é exposto a barulhos, maior a liberação de hormônios do estresse, como o cortisol, que aumenta os níveis de açúcar no sangue e é associado à obesidade e ao acúmulo de gordura corporal;

– Alto nível de irritação e problemas psicológicos causados pela interrupção frequente do sono.

 

Fotos: Claudiomar Gonçalves

Fotos: Claudiomar Gonçalves

 

Segundo Holtz, normas como a NBR 15575 — Edificações habitacionais – Desempenho têm contribuído para tornar o bom desempenho acústico das fachadas de habitações algo fundamental. Moraes concorda, mas ressalta: “Podemos considerar essa norma como um divisor de águas, embora muitas construtoras ainda não tenham atentado para a seriedade do não cumprimento dela”. Apesar disso, o diretor da Atenua Som considera que esse documento trouxe avanços para a questão, como o aumento de ensaios e maior preocupação em usar produtos que atendam as suas determinações.

Vidros indicados
Moraes cita dois grandes grupos de produtos capazes de proporcionar conforto acústico: os insulados e os laminados. Cada um deles é mais indicado para uma situação específica. “Laminados proporcionam um bom desempenho contra ruídos de baixas frequências, além de serem mais baratos do que os insulados. Já estes têm melhor desempenho para bloquear ruídos de altas frequências, como buzinas ou sons estridentes como os de apitos, e também contam com desempenho térmico superior.”

 

mercado-vidros-ruídos

 

Na hora de especificar o vidro, é importante avaliar qual o tipo de som a ser isolado para definir a melhor solução;. “Para ruídos de tráfego, que têm componentes de baixa frequência, o laminado teria um desempenho mais adequado do que os duplos, por exemplo”, opina Holtz, frisando: “O desempenho acústico sempre será do conjunto perfis + vidro. É um erro muito comum aumentar a espessura do vidro na expectativa de um aumento do isolamento acústico”.

Para o sócio-diretor da Harmonia, o maior problema no desempenho acústico de um sistema costuma estar nos caixilhos, os quais muitas vezes não oferecem a estanqueidade necessária. “Então, a atenção na seleção de perfis com desempenho acústico semelhante ao dos vidros é essencial, bem como a instalação e vedação correta deles.”

 

SEM RUÍDOS PARA ATRAPALHAR A MÚSICA
A sede do programa governamental Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba), criado para alcançar a excelência e a integração social por meio da prática coletiva da música, recebeu um tratamento acústico inédito na América Latina. De acordo com a Atenua Som, responsável pelo trabalho em parceria com a empresa Nagata Acoustics, ela é um dos poucos lugares do mundo em que é possível encontrar o silêncio absoluto – ruídos e barulhos externos não afetam as instalações. Os vidros usados nas áreas internas do local estão entre os elementos essenciais para esse resultado (foto): foram instalados insulados compostos de laminado de 16 mm, câmara de ar de 100 mm, com material absorvedor, e laminado de 12 mm.

 

Oportunidades de negócios
A demanda por produtos com melhor desempenho na atenuação da passagem de ruídos externos parece estar crescendo no Brasil. Mas qual seria o motivo?

“É difícil dizer somente uma causa. Além da necessidade de atendimento à NBR 15575, há também o fato de que a pandemia fez muita gente trabalhar em casa. Essa nova realidade fez com que o isolamento acústico fosse percebido como indispensável para permitir qualidade nas reuniões online e mesmo para oferecer maior conforto, concentração e produtividade”, avalia Marcos Holtz.

 

Fotos: divulgação Atenua Som

Fotos: divulgação Atenua Som

 

Em termos de oferta, o mercado também conta com novidades para os interessados. Um desses casos é o da linha minimalista SLIDLux Multi, da Atenua Som, montado com vidros laminados para proporcionar atenuação de ruídos de baixa frequência. “Além de permitir grande área de vidro, ela une desempenho acústico, controle térmico e luminoso”, explica Moraes. Por sua vez, Holtz aponta o grande crescimento na procura de caixilhos com duas folhas de vidro e caixa de persiana – esse sistema é hoje utilizado até mesmo em habitações populares.

 

mercado-vitra-vidros

 

BELEZA E ACÚSTICA EM UMA SÓ ESTRUTURA
O Vitra (foto), edifício residencial na capital paulista projetado pelo renomado arquiteto Daniel Libeskind e construído pela JHSF, chama atenção visualmente por sua fachada envidraçada. Mas nosso material não está lá só por sua beleza. “A pele de vidro especificada é uma excelente solução acústica, permitindo uma estanqueidade muito boa, além de ter os perfis protegidos pelo próprio vidro”, conta Marcos Holtz, da Harmonia, responsável pelo projeto acústico da obra. A fachada é toda de laminados de 10 mm com peças SunGuard High Performance Royal Blue 40, da Guardian, com isolamento acústico de 35 dB.

 

Caixa Acústica
De março a maio de 2014, a Abravidro publicou o Caixa Acústica, uma série de três suplementos com o objetivo de apresentar ao nosso setor os conteúdos divulgados no 6º VidroSom, seminário técnico sobre acústica em vidro. A publicação foi resultado de uma parceria com a Atenua Som (organizadora do VidroSom) e Cebrace (patrocinadora desse evento).

Cada fascículo encartado em uma edição de O Vidroplano abordou um tema relacionado ao uso do vidro na área acústica:

- Março: Conceitos básicos e a evolução do uso do vidro

- Abril: Exemplos práticos do uso do vidro acústico

- Maio: Ensaios laboratoriais e normas técnicas

Para ler a série Caixa Acústica, basta clicar aqui.

Este texto foi originalmente publicado na edição 582 (junho de 2021) da revista O Vidroplano. Leia a versão digital da revista.



Newsletter

Cadastre-se aqui para receber nossas newsletters