Vidroplano
Vidroplano


Encerramento do 14º Simpovidro: cadeia unida em prol do vidro

09/11/2019 - 17h12

Logo após as palestras deste sábado, o presidente da Abravidro, José Domingos Seixas, e executivos das usinas de base subiram ao palco do 14º Simpovidro para suas palavras de encerramento do evento – apesar da solenidade, o encontro prossegue com atividades de lazer durante a tarde e o jantar que fecha o simpósio.

Bastante satisfeito com o resultado desta edição, Domingos celebrou o número de participantes (684), 33% maior do que em 2017, e o momento vivido pelo mercado. “Quando assumi a presidência da Abravidro, em 2017, ciente da importância do associativismo, estabeleci como meta unir a cadeia”, afirmou. “Hoje posso dizer que, apesar de sempre defender os interesses de processadores e distribuidores, trabalhamos em parceria com as usinas e vidraceiros por objetivos muito parecidos.”

O presidente lembrou que, com frequência, esteve em Brasília este ano levando pleitos do segmento. “É importante ressaltar que nossa atuação é de tamanha importância para o mercado que não reunimos apenas processadores e distribuidores, mas empresas prestadoras de serviço da cadeia vidreira”, frisou, enfatizando a necessidade de as empresas estarem juntas na luta pelo segmento.


Networking
e negócios
O Simpovidro seguiu sua cultura de proporcionar oportunidades de negócios e relacionamentos aos participantes. Isso pôde ser visto por todo o Enotel Porto de Galinhas, resort que abriga o congresso de 7 a 10 de novembro, mas principalmente na Feira de Oportunidades, realizada próxima à plenária.

Ali, as dezoito empresas apoiadoras do Simpovidro – Abrasipa, Arbax, Bottero, Diamanfer, Dip-Tech, Eastman, Glass Control, Glassparts, Glass South America, Glaston, GR Gusmão, Keraglass, Kuraray, Lisec, Prodim, Screenline, Sglass e Vetro Máquinas – receberam os participantes em seus espaços.

Muito movimentado, o espaço foi uma excelente oportunidade para a apresentação de novos produtos, serviços e, o mais importante, para o fechamento de negócios.


Balanço das usinas
Na cerimônia de encerramento, Franco Faldini, da AGC, mostrou-se bastante feliz com o resultado do encontro. “Nossa indústria dá sinais de resiliência e sai dos percalços mais forte. Notamos aqui que nossos clientes e parceiros estão propensos a fazer grandes investimentos.”

Flávio Vanderlei, da Cebrace, comemorou que o Brasil voltou, depois de anos, a ter um trimestre positivo na construção civil. “Para 2020, estimamos um crescimento de 4% a 5% para o segmento vidreiro.”

Pela Guardian, Renato Sivieri ressaltou que nota, edição a edição, avanços no Simpovidro e no conteúdo apresentado. Ele também comemorou o amadurecimento do mercado quanto a vidros de maior valor agregado. “Estamos promovendo uma evolução em nosso portfólio.”

Pedro Matta, da Saint-Gobain Glass, relatou que a empresa tem atuado em três frentes para promover o mercado vidreiro: variedade de uso na arquitetura de interiores, vidros impressos com controle solar para fachadas e soluções para o setor moveleiro.

Por fim, pela Vivix, Henrique Lisboa celebrou o interesse dos participantes pelo conteúdo das palestras. Ele anunciou ainda a parceria da Vivix com empresas internacionais para o lançamento de novos produtos em 2020. “Estamos otimistas com o mercado”, reforçou.


Confira o conteúdo das palestras
Arthur Igreja e os mitos da transformação digital

Como aprender com tantas mudanças? Carlos Melo explica

Luiz Felipe Pondé dá aula sobre ética

Sol Camacho: o vidro pode fazer as cidades melhores

Economista Fernando Garcia indica cenário positivo para o vidro

William Waack analisa cenário político nacional

CTA noticias



Newsletter

Cadastre-se aqui para receber nossas newsletters